Medicina do futuro: 10 tecnologias que estão revolucionando a área

Tempo de leitura: 9 min

Escrito por diogo
em Fevereiro 24, 2023

Medicina do futuro: 10 tecnologias que estão revolucionando a área

A área da saúde se mantém em constante evolução, tanto que a medicina do futuro é discutida continuamente e, em determinados casos, já faz parte da realidade de muitas clínicas especializadas, centros farmacológicos, laboratórios e hospitais, melhorando os resultados obtidos na manutenção da saúde.

A capacitação no atendimento médico se deve, em grande parte, à tecnologia e ao elevado número de soluções digitais que são implementadas a cada dia nas mais diferentes instituições da área da saúde.

A presença da tecnologia faz parte de projetos voltados para a solução dos mais diversos problemas que a área da saúde enfrenta continuamente, o que vem mudando e melhorando a medicina do futuro nos mais diversos aspectos – otimizando rotinas.

Essas mudanças podem ser observadas em pontos distintos, entre os quais:

  • Avanço na coleta de dados;
  • Integração entre dados e clínicas;
  • Dispositivos e equipamentos modernos;
  • Pesquisas médicas;
  • Tratamentos específicos.

Esses, entre outros elementos essenciais para os cuidados médicos, impactam na forma que se enxerga a medicina do futuro, permitindo que as rotinas – e até equipamentos como o balcão refrigerado para açougue – sejam direcionados aos processos e ambientes a que realmente se destinam. 

Impacto da tecnologia na medicina do futuro

Em razão das novas tecnologias, os tratamentos médicos são melhores e mais acessíveis para uma gama abrangente de doenças, promovendo a eficiência no atendimento a pacientes, no controle de doenças e na assistência médica em geral. 

A própria OMS (Organização Mundial da Saúde) aponta novas diretrizes com a implementação da tecnologia na área médica, e como isso impacta a medicina do futuro em escala global. 

Novos conhecimentos são promovidos a debates e pesquisas nos mais diversos centros de estudos, como universidades e laboratórios, clínicas e hospitais com fachadas de casas térreas modernas, evoluindo habilidades que tratam de procedimentos, vacinas e medicamentos.

Tudo deve ser feito para solucionar os mais diferentes problemas relacionados à saúde, com o propósito principal de melhorar a qualidade de vida da sociedade e ampliar o acesso a esse sistema.

A medicina do futuro no pós-pandemia

A pandemia causada pela COVID-19 em todo o mundo mudou os paradigmas sobre a medicina do futuro, muito pelo sobrecarregamento de sistemas de saúde em escala global e processos que poderiam facilitar/agilizar os processos de monitoramento, identificação e contenção de crises.

Mesmo que o uso de máscaras e o distanciamento social tenham contribuído para a redução da propagação da doença, entre outras infecções (como uma simples gripe), as restrições e bloqueios também afetaram outros pacientes.

O diagnóstico de novas doenças, além do tratamento pelo qual muitas pessoas dependem, precisaram ser qualificadas para não prejudicar tratamentos ou atrasar entregas. 

Com isso, os pacientes passaram a contar com a antecipação da medicina do futuro, além de facilidades como prescrições online e consultas digitais. 

Sob essa perspectiva, muitos fatores impulsionam a mudança no setor da saúde, com pacientes buscando serviços de maneira digital e personalizada, assim como instituições médicas com materiais de combate a incêndio para evitar qualquer tipo de problema.

Por parte das organizações responsáveis pela saúde, muitas tratam a transição para a medicina do futuro visando um atendimento mais amplo e prático, com sistemas de TI (Tecnologia da Informação) e IoT (Internet of Things, Internet das Coisas) como parte fundamental do setor da saúde.

Aliás, há uma movimentação quanto à percepção da saúde como algo que abrange o bem-estar total de uma pessoa, e não apenas a saúde física, com a participação de diferentes governos, universidades, setores industriais e produtivos, além de gigantes da tecnologia. 

Tudo para que a medicina do futuro possa ser uma realidade para as diferentes gerações e perfis de pacientes, modificando as demandas em curto e longo prazo. 

Assim, é possível destacar ao menos 10 tecnologias que estão revolucionando a área da medicina e farão a diferença daqui em diante, confira!

  1. Presença da IA na medicina do futuro

A IA (Inteligência Artificial) se mostra um dos pontos mais importantes para a medicina do futuro, pois é capaz de ajudar a filtrar grandes quantidades de dados, como já é empregada na movimentação de cargas suspensas em empresas logísticas. 

Ou seja, se trata de uma tecnologia com franca expansão e aplicação.

Com o avanço rápido das análises, computação em nuvem e machine learning, a IA pode trabalhar com os dados fornecidos mais rapidamente, com uma capacidade de identificação das mais diversas formas e quadros, agilizando tomadas de decisão e até diagnósticos.

Dessa forma, a presença da IA capacita os profissionais da medicina para obter novos insights e identificar riscos antes mesmo que eles aconteçam em larga escala, a fim de gerenciar custos e ajudar pacientes a evitar agravamentos ou visitas não cruciais até um hospital (em situações como a de isolamento).

Outras aplicações promissoras da IA estão na redução de desperdícios e no aceleramento do processo de descobertas de medicamentos. 

  1. Soluções de acesso ao paciente e finanças

O setor de faturamento é uma fonte de frustração quando se trata do segmento de saúde.

Erros de comunicação podem ocorrer facilmente, mas para a segurança e a qualidade no atendimento de todos, sem cobranças incorretas e melhores ferramentas, a tecnologia pode promover soluções de acesso ao paciente, facilitando auditorias para melhorar o atendimento de maneira mais eficaz e otimizando todo o processo burocrático.

  1. Impressão 3D substitui ferramentas e próteses

Desde a instrumentação de equipamentos a próteses e implantes com nitreto de silício, a impressão 3D é uma tecnologia que pode revolucionar a medicina do futuro. 

O cenário que se avista é contar com diferentes peças de reposição, mesmo no corpo humano, a partir do uso das impressoras.

  1. Realidade aumentada e integração das informações

A realidade aumentada pode ser aplicada de diversas maneiras, melhorando a capacidade de armazenar e organizar informações, além de qualificar o atendimento e reduzir erros. 

Assim, com a tecnologia, buscar informações sobre um paciente durante uma internação pode ser feito de maneira pessoal, agilizando todo o processo e evitando filas, bem como a partir de todo o histórico disponível em plataformas como a de CRM. 

Mais ainda, no caso da realidade, prever processos durante um tratamento ou procedimento, como uma cirurgia, se torna possível, qualificando os fluxos e reduzindo riscos.

  1. Nanorobôs no sistema sanguíneo

A nanotecnologia passou da ficção para a realidade, ainda mais quando pesquisadores de diferentes países conseguiram criar nanorobôs para fornecer medicamentos e estimular artérias entupidas  – por exemplo.

Uma máquina de ressonância magnética que passa pelo serviço de serviços de manutenção predial permite o controle total, com uma tecnologia que pode ter aplicações abrangentes.

  1. Ciborgues passam a ser uma realidade

Outro elemento que pode fazer parte da medicina do futuro é a ciborguização – a partir do avanço da tecnologia em relação à interface neural. 

Esse conceito tem como objetivo permitir que humanos e máquinas possam trabalhar em conjunto, de forma totalmente integrada, em diferentes contextos. Tudo para oferecer atendimento de qualidade e de maneiras inéditas na área da saúde.

Assim, pode-se estabelecer a criação de provedores com a capacidade de controle de movimentos em ferramentas cirúrgicas, com total precisão, e até pacientes que utilizem sistemas integrados para o devido rastreamento de estatísticas vitais.

  1. Diagnóstico preditivo evita excesso em atendimento

Os principais avanços em áreas como genômica, proteômica e citómica estão sendo facilitados para profissionais de saúde, permitindo prever problemas antes que eles ocorram.

O diagnóstico preditivo é muito vantajoso para a saúde integral, combinando determinadas informações para identificar o risco de doenças em um paciente, somado a outros dados, como curvas de envelhecimento e fatores ambientais.

Isso ajuda os provedores a prevenirem o problema ou reduzirem significativamente seu impacto negativo, minimizando custos e evitando excesso de atendimento e procedimentos para identificação de problemas. 

Consequentemente, promovendo a melhora na qualidade de vida dos pacientes.

  1. Internet das Coisas na medicina do futuro 

A coleta de dados sobre pacientes é uma realidade, mas a IoT, ou Internet das Coisas, tem muito mais a oferecer para a medicina do futuro e outros setores, como o transporte de máquinas pesadas em estradas inteligentes.

Isso porque essa novidade tecnológica transmite dados coletados em centros hospitalares de forma automática, criando um relatório pessoal do paciente de forma mais centralizada e acessível.

Dessa maneira, se economiza tempo, além de diminuir a chance de que alguém cometa erros na entrada de dados. 

Com isso, a solução de IoT pode integrar todos os dados provenientes dessas fontes – previamente sinalizadas – para ajudar os provedores a ter uma visão geral. 

Outras aplicações possibilitam o atendimento de qualidade fora de uma clínica médica, com etiquetas RFID em frascos de prescrição que ajudam os pacientes a cumprir o cronograma, ou mesmo embalagens de remessa que garantem a autenticidade do medicamento, por exemplo.

  1. Monitoramento remoto de paciente e telemedicina

A rotina de consultas médicas pode ser extenuante e, em determinados casos, até mesmo dispendiosa.

A telemedicina é uma realidade que pode ser associada à medicina do futuro, mas que ganhou novos contornos e importância desde a pandemia causada pela COVID-19. 

Da mesma forma, o monitoramento remoto de pacientes permite o acesso de profissionais da saúde de maneira regular, desde que haja transmissão de vídeo e conectividade com a internet.

Sendo assim, as pessoas podem se sentir mais confortáveis trabalhando e vivendo remotamente, enquanto para os provedores de saúde, isso significa poder acomodar mais pacientes de forma presencial, em extremo caso de necessidade.

  1. Portais dedicados aos pacientes

O relatório médico de um paciente é parte fundamental em se tratando da prestação de cuidados, mas que muitas vezes se torna um obstáculo para encontrar o histórico.

A medicina do futuro propõe a interligação entre os mais diferentes centros de atendimento de saúde, com a centralização de dados e informações de um paciente, como um vigilante de escolta armada, em um único local.

Assim, os portais de pacientes podem ajudar as equipes de atendimento médico com informações importantes para um atendimento seguro e com sólida base de dados para o diagnóstico mais apropriado.

Conclusão

A evolução da tecnologia faz parte da medicina do futuro, e a ideia é que se possa melhorar o acesso aos cuidados paliativos e gerais de um paciente, assim como a redução de custos e a melhora no atendimento preditivo sendo agilizado em todos os patamares. 

Com essas melhorias propostas pela medicina do futuro, entre tantas outras que podem ser empregadas, a tecnologia ajuda no desenvolvimento e capacitação de profissionais, com objetivo de apresentar mudanças radicais e necessárias no setor da saúde, bem como mais qualidade no contato e tratamento dos pacientes.

Texto originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, canal em que você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade