5 dicas para quem quer reformar apartamento alugado

Tempo de leitura: 7 min

Escrito por mateus
em Março 9, 2023

5 dicas para quem quer reformar apartamento alugado

Reformar um apartamento alugado pode ser um desafio, mas algumas dicas podem ser empregadas e facilitarão esse processo.

Para moradores que não possuem a oportunidade de investir em um imóvel próprio, a locação de propriedades é a saída que uma grande parte dos brasileiros opta.

Segundo uma pesquisa realizada por instituições privadas do setor de moradia, 30% dos brasileiros moram em residências alugadas. Essa mesma pesquisa também indica que 28% dos brasileiros já realizaram reformas em suas residências.

Esses números são bastante significativos, pois mesmo com muitos imóveis alugados, as reformas ainda são uma constante comum a uma parte significativa da população.

Muitas dessas reformas podem ser menores, como a instalação de uma fechadura digital biométria ou uma unificação de cômodos, mas ambas as situações acabam sendo mais delicadas quando se tratam de casas e apartamentos alugados.

Nesses casos o poder de decisão não está somente nas mãos dos moradores da casa, é necessário haver uma adequação às regras do proprietário, e em casos de apartamentos, também as regras do condomínio.

As reformas nos apartamentos alugados apresentam esses desafios, contudo ainda é possível modificar o ambiente e deixar mais próximo da vontade do locatário. Conheça abaixo alguns passos do que pode e não pode ser feito nesses imóveis.

Por que reformar um apartamento alugado?

Instalação de portas acústicas, uma parede a menos ou uma nova cor para as portas podem ser desejos comuns aos moradores de um imóvel próprio, assim como em um apartamento alugado.

Personalizar o ambiente em que está morando é muito importante para manter o bem-estar e a identificação com o local.

Portanto, quando o morador está há algum tempo no mesmo apartamento, é comum que ele queira fazer alterações, por mais simples que possam ser.

Na maioria das vezes, as opções que beneficiem o apartamento podem ter mais flexibilidade para serem feitas, mas é importante ter cada mudança alinhada com o proprietário e se possível colocada em contrato, afinal o combinado não sai caro.

O que pode ser feito no apartamento alugado?

A busca por conforto e bem-estar do espaço onde o morador passa uma grande parte da sua vida é constante.

Usar materiais versáteis, como a tinta epóxi, por exemplo, é um tipo de ação que traz inúmeros benefícios para o imóvel. Contudo é preciso considerar o que realmente pode ser feito nesse ambiente, como:

  • Investimento em pinturas;
  • Mudanças em cômodos específicos;
  • Decoração de paredes;
  • Utilização de instrumentos de suporte.

Todas essas opções são viáveis e podem ser feitas em qualquer fase da estadia no imóvel, mas ainda assim é importante manter uma boa relação com o proprietário, comunicando-o dessas modificações.

A pintura é uma opção simples, que conseguirá modificar a estética do apartamento e ainda pode ser reversível futuramente, por isso é uma opção que é sempre autorizada.

Outras modificações que seguem esse mesmo caminho, de fácil remoção ou retorno ao estado original, são possíveis alterações no apartamento alugado.

O que não fazer em um apartamento alugado?

É interessante pensar nas opções que são caminhos viáveis para seguir na reforma do apartamento, mas também é importante entender o que não pode ser feito, para não correr o risco de cometer erros por falta de conhecimento.

As reformas que sempre serão vetadas pelo proprietário ou pelo condomínio são as que afetam ou modificam a estrutura do apartamento e do prédio.

Algumas modificações só podem ser feitas por uma empresa de manutenção predial autorizada, que conta com profissionais especializados. A maioria destas mudanças são feitas de forma geral, por isso não é permitido ser feito por apartamento.

Derrubar paredes, modificar o piso ou azulejos de banheiros e cozinha são algumas opções de reformas vetadas. Mesmo que haja a autorização do proprietário, por uma questão de camaradagem, por exemplo, ainda assim não é recomendado seguir com elas.

Quem é o responsável pelo pagamento?

Para diversos tipos de reformas existem diversas formas de arcar com os valores investidos nelas.

Ambas as partes são responsáveis por tipos diferentes de reformas. Todos os pontos referentes à estrutura do apartamento ou danos que forem causados por interferência de terceiros é responsabilidade do proprietário.

As reformas feitas para prevenção são responsabilidade do proprietário do imóvel, como a aplicação de impermeabilizante para laje, em casos de residência, por exemplo, ou limpeza de calhas.

Já o locatário fica responsável pelas reformas voltadas para a estética e beneficiamento do apartamento. Nesse caso ele pode alinhar com o proprietário para abater ou não do valor do aluguel.

Outras opções, como foco em segurança usando grades semelhantes a uma tela para cerca, aplicando na varanda ou janelas, pode ser alinhado com o proprietário, pois é um opção flexível, podendo ser responsabilidade de um ou de outro.

5 dicas para reformar o apartamento alugado

Conhecendo então as responsabilidades do locatário quanto às reformas que forem realizadas no apartamento, conheça abaixo algumas dicas de reformas que fazem sentido para o espaço.

Todas as sugestões abaixo são opções de reformas simples, mas que ainda assim devem ser informadas ao proprietário, de preferência colocadas em contrato para garantir um respaldo de qualquer problema futuro.

  1. Planeje as mudanças

A fase inicial de qualquer projeto de reformas ou obras em uma residência deve ser o planejamento, principalmente quando for um imóvel alugado, pois todos os pontos a serem alterados devem ser previamente pensados.

Nessa fase o locatário deve pensar em todas as alterações que deseja fazer, se busca o uso de tintas ou de uma junta de dilatação para piso de concreto, pensar também em quanto tempo duraria a reforma e colocar todos os detalhes em contrato.

Quando as alterações são adicionadas ao contrato, o locatário está seguro contra possíveis multas ou sanções por realizar aquela reforma.

É importante considerar, além de quais alterações, quais materiais serão usados, pois a fase de planejamento também serve para prever um orçamento necessário, já que na maioria dos reparos o responsável por esse pagamento será o morador locatário.

Não tem problema sentar e planejar cada passo da reforma, esse é o momento em que serão definidos pontos importantes para a sua casa, portanto mantenha os pés no chão e planeje.

  1. Contrate profissionais

Com as alterações na ponta do lápis, é a hora de contratar profissionais especializados para seguir com cada detalhe.

Para muitas das reformas que serão feitas, é interessante pesquisar os serviços de empresas de arquitetura, muitas vezes são esses profissionais que irão pensar em soluções viáveis para problemas da reforma.

Essas soluções trarão uma nova visão, podendo até mesmo fazer uma alteração que era desejo do locatário, mas que ele não via saída para a realização, sem alterar a estrutura do prédio.

  1. Aposte em divisórias de cômodos

Nem todos os apartamentos têm um espaço maior, para acomodar diversos quartos ou cômodos. Na maioria das vezes eles possuem espaços integrados, unificando, por exemplo, a cozinha e a sala.

Alguns proprietários, quando residem em apartamentos desse tipo, buscam uma privacidade maior ou até uma melhor organização dos espaços. Porém, como citado acima, a construção de paredes não é uma opção viável para apartamentos alugados.

Nesse caso, a saída mais interessante seria o uso de divisórias entre os cômodos. Essas divisórias podem ocupar todo o espaço do chão ao teto, ou serem semelhantes às divisões de bancadas nas famosas “cozinhas americanas”.

Existem diversos materiais que podem ser escolhidos, dando então liberdade ao morador para escolher a que mais lhe agradar, podendo ser drywall, parede vazada ou até biombos de material sustentável.

  1. Não utilize itens sob medida

Estar em um apartamento alugado é saber que aquela estadia pode ser temporária, o próprio contrato de locação tem um tempo pré-definido para expirar.

Nesse caso, não faz sentido investir em itens sob medida ou planejados, pois quando chegar o momento da mudança, esses móveis não farão mais sentido para o novo endereço.

Utilize móveis práticos, de preferência leves e que sejam menores, dessa forma até mesmo o carregamento deles em um momento de mudança será mais simples.

  1. Respeite as regras do condomínio

Cada condomínio possui suas regras, que são definidas em assembleia e registradas em atas para que sejam de conhecimento de todos os moradores, outras regras são definidas também pela lei do inquilinato.

Todas essas diretrizes servem para manter o bem-estar de todos e ainda garantir segurança, principalmente quando se tratam das cláusulas falando de obras e reformas.

Por esse motivo, é muito importante respeitar cada uma delas. Existem alternativas, assim como mostrado aqui, para melhorar o apartamento alugado, dessa forma será possível manter a boa vizinhança e continuar no apartamentos sem enfrentar problemas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade